02/10/2017

Instituto Legado recebe o Consulado Geral dos Estados Unidos

O empreendedorismo social curitibano, por meio do Instituto Legado, continua na rota internacional como referência em engajamento, transformação e conexões. Nesta sexta-feira, 29, a instituição recebeu a visita do Consulado Geral dos Estados Unidos, representado pelo Adido Cultural dos Estados Unidos em São Paulo, Scott Smith, e a assessora cultural Joyce Costa. O objetivo do encontro foi identificar sinergias e possibilidades de cooperação em áreas de interesse mútuo. Os visitantes foram recebidos pela diretoria do Instituto Legado, entre eles o fundador e presidente James Marins. Para que a comitiva pudesse ter uma amostra da trajetória do Instituto Legado e dos resultados que tem alcançado nos últimos anos, três organizações do Projeto Legado compartilharam suas histórias. A Associação Ricardo Gadotti Feldmann (Arigaf), participante do Projeto Legado 2016, apresentou o trabalho que desenvolve  com crianças por meio da educação, oferecendo aulas em áreas como língua inglesa, informática,  filosofia, cidadania, além de literatura (nacional e internacional), artes visuais, música e educação financeira. Tudo isso ofertado de forma totalmente gratuita nos três anos de participação do aluno no programa. A Badu Design, também da turma PL 2016 e vencedora do Prêmio Cereja do Bolo, mostrou que é possível unir empoderamento feminino e sustentabilidade. O negócio social leva aos consumidores produtos de papelaria, presentes e organização feitos à mão por mulheres em vulnerabilidade social, utilizando resíduo têxtil. Já o projeto We Are All Smart (WAAS), está no Projeto Legado 2017 e apresentou o trabalho de ensino tecnológico para jovens em situação de vulnerabilidade social. Série de encontros internacionais A visita do Consulado Geral dos Estados Unidos é mais uma das experiências internacionais do Instituto Legado. Somente esse ano, já recebemos o vice-prefeito de Orlando, Tony Ortiz, o cônsul da Finlândia no Paraná, Carlos Eduardo de Athayde Guimarães, a empreendedora norte-americana Cindy Colson, além de representantes do Google For Education. O Instituto Legado trabalha para que o empreendedorismo social supere as fronteiras e para que todas organizações sociais tenham a oportunidade de serem vistas e reconhecidas por outros países. Isso é importante, sobretudo, por vivermos em um contexto em que o ensino de Inglês ainda exige recursos que nem todos têm à disposição, o que gera limitações. De acordo com o Índice de Proficiência em Inglês 2015, realizado pelo grupo educacional EF Education First, os brasileiros têm baixo conhecimento na língua inglesa, ocupando a 41ª posição em uma lista de 70 países.

Leia +
24/01/2017

Municípios paranaenses com pior IDH são prioridade de programa de aceleração do terceiro setor

O Instituto Legado está em busca de organizações sociais dispostas a mudar a realidade de 25 municípios da Região Metropolitana de Curitiba e proximidades que ocupam as piores posições no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do IBGE. Em sua quinta edição, o Projeto Legado oferece programa de capacitações estratégicas gratuito para instituições do terceiro setor e negócios sociais e, desta vez, tem como objetivo principal atingir essas localidades estatisticamente carentes. “Nossa meta é democratizar o conhecimento que ofertamos e sabemos que investir nessas regiões que são geograficamente próximas de nossa atuação, mas socialmente distantes é a melhor estratégia para quem pensa em impacto social”, explica Beatriz Groxco, gestora do Projeto Legado e idealizadora da força-tarefa em busca de iniciativas sociais das cidades com pior IDH do Paraná. Para estabelecer a lista de prioridades do Projeto Legado 2017, a equipe do Instituto Legado pesquisou os municípios localizados em um raio de distância de até 200 km de Curitiba, cidade-sede do Instituto Legado, e analisou o IDH de cada município, selecionando os piores. A partir desse diagnóstico, foram destacados aqueles com pior desempenho, segundo o IBGE, que leva em consideração itens como moradia, educação e saúde. Entre os municípios identificados, o caso mais crítico é Doutor Ullysses, com pior IDH do estado (0,54), localizado a 125km da capital do Paraná, cujo IDH é de 0,82 (a nota máxima é 1). O segundo pior IDH do estado é representado por Cerro Azul, com taxa de 0,57. Na lista das selecionadas, o município com melhor desempenho é Almirante Tamandaré, com 0,69. “O Instituto Legado acredita que o empreendedorismo social é uma ferramenta eficaz para resolver uma gama de problemas sociais que são demonstrados pelo IDH e apostamos que nossa atuação nestas regiões, fomentando o protagonismo das comunidades locais, pode ser um bom ponto de partida para o combate desses problemas”, comenta James Marins, presidente do Instituto Legado. Além desse ranking prioritário, integram a área de interesse do programa todos os 29 municípios da RMC. As incrições para o Projeto Legado 2017 estão abertas até 15 de março. Podem se inscrever associações, organizações não governamentais, fundações, institutos e negócios sociais de todo o Brasil que tenham no mínimo um ano de funcionamento. Os interessados devem preencher um questionário online no site do Instituto Legado (www.institutolegado.org/pl2017) e enviar um vídeo de 2 minutos. Não há cobrança de nenhuma taxa. O edital completo, com todos os pré-requisitos e exigências, pode ser acessado no site oficial. Em quatro anos de atuação, o programa de aceleração do terceiro setor já capacitou e apoiou gratuitamente 80 iniciativas com propósito social e/ou ambiental lideradas por organizações da sociedade civil, empresas com propósito social e empreendedores sociais, fortalecendo e inspirando o empreendedorismo no setor social. O curso gratuito com duração de um ano inclui capacitação nas diversas áreas que compreendem a administração de uma organização social, com conceitos de gestão, legislação, captação de recursos e comunicação. Além do conteúdo programático, o projeto pretende conectar pessoas com objetivos em comum em eventos de rede que reúnem todas as iniciativas já atendidas pelo instituto, além de outras iniciativas parceiras e referenciais. Os participantes tem ainda acesso a assessorias especializadas que prestam suporte para solução de determinadas demandas e são incentivados por meio de desafios temáticos, que os estimula a praticar o conteúdo aprendido. O Projeto Legado 2017 tem abertura oficial dia 28 de março e encerramento no fim de novembro. Projeto Legado dobra número de vagas e amplia atividades Desde 2013, o Projeto Legado seleciona, capacita e investe em 20 organizações por ano, especialmente de Curitiba e Região Metropolitana. Na última edição, o programa expandiu e abriu o edital para todo o país, recebendo inscrições de todas as regiões. Para 2017 o passo deve ser ainda mais largo: o edital prevê a seleção inicial de 40 nomes, proporcionando que mais iniciativas sejam beneficiadas. Durante a primeira fase do programa, as participantes receberão cerca de 60h em treinamentos e serão reavaliadas para encaminhamento para a segunda fase. Na etapa seguinte, as selecionadas serão divididas em dois grupos, de acordo com a realidade e a fase de desenvolvimento. Aquelas julgadas mais aptas, serão preparadas ao longo do segundo semestre para a expansão de impacto e a possibilidade de conquistar um prêmio financeiro no valor de R$ 10 mil que irá auxiliar na execução das soluções para as causas sociais em que atuam. A segunda metade da turma será encaminhada para a fase de fortalecimento organizacional, com conteúdos próprios para consolidação de suas organizações. Essa fase não existia nas edições anteriores do Legado e está sendo implantada com o objetivo de dar ainda mais subsídio para que as beneficiadas cresçam e ampliem sua atuação. “O nosso objetivo é proporcionar meios eficazes para ampliar significativamente o impacto de iniciativas sociais, com capacitações estratégicas, rede de mentores e padrinhos, desafios práticos e possibilidade de investimento financeiro ao final do processo de aprendizagem”, ressalta Beatriz Groxco. Verifique a lista de cidades mapeadas pelo Projeto Legado: 1-    Doutor Ulysses 2-    Cerro Azul 3-    Guaraqueçaba 4-    Inácio Martins 5-    Tunas do Paraná 6-    São João Triunfo 7-    Tijucas do Sul 8-    Itaperuçu 9-    Bocaiúva do Sul 10- Fernandes Pinheiro 11- Ipiranga 12- Mandirituba 13- Antonio Olinto 14- Agudos do Sul 15- Imbituba 16- Sengés 17- Tibagi 18- Adrianópolis 19- Teixeira Soares 20- Rebouças 21- Rio Branco do Sul 22- Quitandinha 23- Contenda 24- Morretes 25- Almirante Tamandaré Saiba mais em www.institutolegado.org

Leia +
06/12/2016

Instituto Legado reúne 80 instituições sociais e anuncia vencedoras do Prêmio Cereja do Bolo 2016

Para celebrar a conclusão da 4ª edição do Projeto Legado e anunciar as organizações sociais que conquistaram o investimento financeiro, o Instituto Legado reúne na próxima quarta-feira (07), a partir das 19h, todas as organizações que já passaram pelo programa de capacitação e integram a Rede Legado. São 80 iniciativas sociais que receberam um ano de profissionalização em empreendedorismo social e agora se reencontram para trocar experiências, fortalecer conexões e conhecer as vencedoras do Prêmio Cereja do Bolo 2016. “A entrega do prêmio financeiro é sempre um momento muito especial para o Instituto e também para as organizações que integram nossa rede, é o momento de coroação do trabalho que é feito durante o ano e a chance que temos de potencializar nosso impacto fortalecendo parcerias entre pessoas que tem propósito social”, afirma James Marins, presidente do Instituto Legado. O encontro também é uma oportunidade para que pessoas e empresas interessadas no empreendedorismo social conheçam o resultado das atividades desenvolvidas em 2016 e discutam propostas para o terceiro setor. Desde 2013, o Projeto Legado seleciona anualmente 20 instituições do setor e oferta um ano de atividades gratuitas, incluindo conhecimento sobre gestão, comunicação, finanças e assessoria jurídica. Um dos avanços de 2016 foi a abertura de edital para outras regiões do Brasil. Graças a essa ampliação, a ONG Pontes do Amor, de Uberlândia (MG), pôde aprimorar o trabalho que desempenha em prol da adoção legal e a convivência familiar. “O Legado foi um divisor de águas que nos levou a revisar nossa identidade organizacional e processos, e ainda nos trouxe ferramentas e metodologia para gestão de projetos; valeu a pena o investimento em viagens, pois a qualidade do treinamento foi classe A”, avalia Sara Vargas, coordenadora da instituição e finalista do Projeto Legado 2016. Ao fim do curso anual, os participantes produzem um projeto de expansão de impacto e disputam um prêmio financeiro com intuito de ampliar as atividades e soluções da causa social ou ambiental a que se dedicam. Oito ONGs estão na fase final e na expectativa de conquistar R$ 10 mil para aplicação em 2017. Por meio desse programa de aceleração, 11 iniciativas já foram prestigiadas com financiamento direto, além de outras 71 que receberam investimento por meio do conteúdo programático. O edital de inscrições para a próxima edição será divulgado em breve. Turma de primeira Além da celebração do Projeto Legado 2016, o evento também marca a formatura da primeira turma de Pós-Graduação em Empreendedorismo e Negócios Sociais, um curso inédito no Sul do País desenvolvido pelo Instituto Legado em parceria com a FAE Business School. O encontro ainda contará com a presença de Marcelo Estraviz, especialista em investimento de impacto social que ministrará, na próxima quarta-feira (08) um dia de oficina de captação de recursos no Legado SocialWorking. Interessados em participar da celebração e da oficina podem confirmar presença pelo site. Sobre o Instituto Legado O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para o desenvolvimento econômico e se propõe a ampliar o impacto de iniciativas sociais, causar transformações e deixar um legado. Atua em três frentes estratégicas: Capacitação, Educação Formal e Fortalecimento de Rede. A capacitação é executada por meio do Projeto Legado, um programa de aceleração que seleciona, capacita, conecta e investe em organizações sociais de alto potencial de impacto. Realizado desde 2011, o Projeto já apoiou 80 organizações. A segunda frente é a Educação Formal que, em parceria com a FAE Business School e o Amani Institute estruturou a primeira pós-graduação em empreendedorismo e negócios sociais do Sul do Brasil. A terceira frente é o Fortalecimento de Rede, que promove e apoia ações sobre Empreendedorismo, Inovação, Negócios Sociais e Investimento de Impacto com a intenção de tornar Curitiba pólo de discussões de relevância nacional e internacional e recentemente criou o SocialWorking, um coworking exclusivo para negócios sociais. Serviço:  07/12/2016, a partir das 19h
Local: Av. Visconde de Guarapuava, 3263, Auditório 2o andar. Instituto Legado Rua São Pedro, 696 – Cabral. (41) 3503-2812 http://institutolegado.org www.facebook.com/InstitutoLegado

Leia +
29/11/2016

Instituto Legado traz a Curitiba especialista em Captação de Recursos e realiza dia de treinamento sobre tema

O Instituto Legado realiza no dia 8 de dezembro um dia todo de programação voltado à profissionalização de captadores de recursos para o Terceiro Setor. O condutor da programação é Marcelo Estraviz, um dos maiores especialistas do tema no Brasil e que está atualmente em um período sabático na Europa, onde explora as principais inovações na área. O dia de imersão intitulado “Captação de Recursos: da teoria à prática”, é realizado das 9h às 18h, com intervalo de almoço das 12h às 13h, no Legado SocialWorking. As vagas são limitadas a 40 lugares e as inscrições devem ser feitas pela plataforma online disponível no site do instituto. A programação é destinada a gestores de organizações sociais, empreendedores sociais e captadores de recursos além de advogados, contadores, administradores e estudantes dessas áreas. A profissionalização em captação e o gerenciamento de atividades de mobilização de recursos é um dos desafios atuais mais relevantes para o empreendedorismo social brasileiro. Por meio de trabalhos em grupo, casos práticos e exposição de teorias, o treinamento apresenta ferramentas para a criação ou aperfeiçoamento de um departamento de captação de recursos nas organizações sem fins lucrativos. Também serão apresentadas as principais atividades e técnicas para que uma organização inicie um planejamento estruturado em mobilização de recursos, com a colaboração de aliados e futuros parceiros. “Nossa experiência com as organizações sociais de Curitiba tem mostrado o quanto a dificuldade de captação de recursos pode limitar o impacto social dessas iniciativas transformadoras; por isso, o Instituto Legado tem investido na criação de ambientes e condições para que os empreendedores sociais superem essa dificuldade”, comenta James Marins, presidente do Instituto Legado. Sobre Marcelo Estraviz Presidente do Instituto Doar, empreendedor social, palestrante e escritor, é fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) e conselheiro do Greenpeace, da Cidade Democrática e do Instituto Filantropia. Coautor do livro “Captação de diferentes recursos para organizações da sociedade civil”, autor de “Um dia de captador” e “Pause”. Criador do #diadedoar e da iniciativa certificadora de ONGs, já capacitou em mobilização e captação de recursos mais de 20 mil pessoas em 18 estados brasileiros e em três países da América Latina. Sobre o Instituto Legado O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para o desenvolvimento econômico e se propõe a ampliar o impacto de iniciativas sociais, causar transformações e deixar um legado. Atua em três frentes estratégicas: Capacitação, Educação Formal e Fortalecimento de Rede. A capacitação é executada por meio do Projeto Legado, um programa de aceleração que seleciona, capacita, conecta e investe em organizações sociais de alto potencial de impacto. Realizado desde 2011, o Projeto já apoiou 80 organizações. A segunda frente é a Educação Formal que, em parceria com a FAE Business School e o Amani Institute estruturou a primeira pós-graduação em empreendedorismo e negócios sociais do Sul do Brasil. A terceira frente é o Fortalecimento de Rede, que promove e apoia ações sobre Empreendedorismo, Inovação, Negócios Sociais e Investimento de Impacto com a intenção de tornar Curitiba pólo de discussões de relevância nacional e internacional e recentemente criou o SocialWorking, um coworking exclusivo para negócios sociais. Palestra sobre Captação de Recursos com Marcelo Estraviz Inscrições:  http://institutolegado.org/cursos   Valores R$ 200,00 (para integrantes da Rede Legado); Primeiro lote a R$ 300,00 (para público em geral); Segundo lote a R$ 400,00 (para público em geral).   Legado SocialWorking   Rua São Pedro, 696 – Cabral. (41) 3503-2812 http://institutolegado.org www.facebook.com/InstitutoLegado   Confira o conteúdo do seminário: 1. Especificidades da mobilização de recursos nas organizações e projetos sociais
– A importância da mobilização de recursos dentro da organização
– Requisitos mínimos antes de começar a captar 2. Características dos diversos tipos de doadores e investidores: empresas, governos, fundações e indivíduos 3. Gerenciamento do “mix” de financiadores
– Quais as principais fontes de recursos
– Como conseguir melhor desempenho com cada um deles 4. Planejamento de estratégias e campanhas de captação
– Definição de estratégias e metas
– Mensuração das necessidades de arrecadação 5. Metodologias e técnicas de formação, contratação e treinamento de equipes e de captadores de recursos: como contratá-lo(s), como remunerá-lo(s), como manter a motivação e qual o melhor perfil 6. Novas tendências e ferramentas de captação de recursos
– Crowdfunding
– Mídias sociais
– Face-to-face 7. Técnicas de negociação e de apresentação de projetos e organizações com foco social
– Alta performance em negociações com empresas
– Como fazer e conduzir uma reunião
– O que dizer, o que não dizer e como dizer
– Técnicas de vendas adaptadas ao Terceiro Setor 8. A nova captação
– O que é a velha (e boa) captação
– Os 3 eixos: Pessoas, tecnologia e processos
– O objetivo se expandiu: dinheiro e aliados

Leia +
31/10/2016

Instituto Legado cria coworking para empreendedores sociais e inaugura primeira unidade em Curitiba

Com o intuito de criar um ambiente de trabalho conjunto pelo social, o Instituto Legado de Empreendedorismo Social inaugura no dia 31 de outubro, segunda-feira, sua primeira unidade do Legado Socialworking, um ambiente especialmente desenvolvido para a conexão entre pessoas, empresas e instituições que trabalham em prol das causas sociais e ambientais. O escritório compartilhado se diferencia de outros modelos do mercado pelo objetivo central e público que deseja atingir, o que dissemina, também, um novo conceito nas tendências de trabalho colaborativo: o socialworking. “A intenção é criar um ambiente de sinergia para aqueles que estão ligados à causa social”, explica James Marins, presidente do Instituto Legado. “Desde a fundação, trabalhamos com a capacitação e a formação de uma rede ampla de empreendedores sociais e o socialworking (SW) vai contribuir para ampliar e fortalecer essa ideia”, complementa. A proposta do socialworking favorece a cocriação de projetos para ampliacão coletiva, tanto individual como organizacional, de impacto social e ambiental. O Instituto Legado atua há quatro anos na aceleração de organizações sociais de Curitiba e Região Metropolitana e em 2016 expandiu sua abrangência para todo o país. O Legado Socialworking, instalado no bairro Cabral, em Curitiba, chega para ampliar esse horizonte: servirá não apenas como sede para organizações da sociedade civil e negócios de impacto social que ali desejarem se instalar, mas também será o local de realização das atividades do Projeto Legado – que está na 4ª edição e já capacitou 80 instituições. Além disso, promoverá encontros com nomes relevantes do setor e um contato constante entre pessoas e instituições interessadas em contribuir com a agenda ambiental e social. “Será também um ambiente propício para que a sociedade saiba mais sobre o Empreendedorismo Social, e uma referência para interessados em se profissionalizar na área, com oferta de cursos de capacitação e networking”, afirma Bárbara Moraes, coordenadora do projeto. Com auditório próprio, o SW promete ser um pólo de eventos, oferecendo, entre outras atividades, os Socialworkshops, com painéis e palestras gratuitos e intuito de democratizar o acesso a esse tipo de conteúdo que está em amplo crescimento em Curitiba e em todo Brasil. O ambiente também servirá de laço de reforço com a primeira Pós-Graduação em Empreendedorismo e Negócios Sociais do Sul do Brasil desenvolvida em parceria com a FAE Business School. No socialworking, estudantes e acadêmicos da área terão um ambiente totalmente propício para troca de ideias e experiências com profissionais do setor, fortalecendo a proposta de uma comunidade focada em “co-resolver” seus problemas sociais e ambientais. Todos por todos O Legado Socialworking terá um sistema facilitado de gestão dos custos de funcionamento a fim de colaborar com as entidades que, historicamente, encontram dificuldades de captação de recursos e manutenção. Por não ter fins lucrativos, a mensalidade cobrada no SW será acessível, de acordo com a realidade de cada organização. O intuito é cobrir as despesas fixas do local e destinar o saldo para um fundo de recursos sociais. “A finalidade do SW não é obter lucro, por isso, todo valor que exceder os custos será utilizado como fundo de investimento para que o Projeto Legado possa apoiar mais organizações sociais e, assim, expandir nosso impacto; é o Terceiro Setor investindo no Terceiro Setor”, explica Bárbara Moraes. Demanda O novo espaço, localizado no bairro Cabral, em Curitiba, é amplo, possui quatro pavimentos e contabiliza 300 m², com possibilidades de ampliação. São ofertadas estações de trabalho com a opção de mesas fixas ou salas privativas. Também há infraestrutura para reuniões e eventos em auditório com capacidade para 50 pessoas. Cinco organizações já ocupam o local, e potenciais socialworkers estão convidados a visitar as instalações. A ONG TETO, capacitada e premiada pelo Projeto Legado 2015, foi a primeira organização a aderir à proposta e já divide o espaço com outras quatro organizações, além da própria equipe do Instituto Legado. “O SW é o primeiro “teto” do TETO Paraná e temos um carinho muito grande pelo espaço desde o começo; ver este lugar tomando forma de “lar” para organizações sociais tem sido uma grande experiência, as conexões já começaram a se formar aqui dentro! A cada evento, cada visita, cada conversa de corredor novas ideias e ideais são compartilhados e a motivação para se trabalhar por um mundo melhor só aumenta”, comenta Aline Tavares, Diretora da TETO Paraná. Open House O Legado SocialWorking abre as portas oficialmente na segunda-feira, 31/10, com uma programação especial de 12h de inauguração. Durante o openday, das 14h às 21h, o ambiente realizará uma série de atividades relacionadas ao setor social. A grande atração é o talk show sobre coworkings com Marcelo Castilho, pesquisador e consultor em inovação colaborativa. Referência na área, Castilho tem estudado o efeito do trabalho coletivo e do espaço compartilhado em todo o mundo. A palestra tem início às 19 horas e a entrada é franca, mas com inscrição obrigatória. Mãos à obra Desde sua concepção o Legado SW mostra o potencial de unir pessoas e ideias em torno de um propósito. A reforma do ambiente contou com a colaboração de entidades interessadas e profissionais voluntários. A arquiteta Eliane Caldeira prestou assessoria voluntária para desenvolver o projeto e a loja Tintas Virgínia forneceu o material a preço de custo. Sobre o Instituto Legado O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para o desenvolvimento econômico e se propõe a ampliar o impacto de iniciativas sociais, causar transformações e deixar um legado. Atua em três frentes estratégicas: Capacitação, Educação Formal e Fortalecimento de Rede. A capacitação é executada por meio do Projeto Legado, um programa de aceleração que seleciona, capacita, conecta e investe em organizações sociais de alto potencial de impacto. Realizado desde 2011, o Projeto já apoiou 80 organizações. A segunda frente é a Educação Formal que, em parceria com a FAE Business School e o Amani Institute estruturou a primeira pós-graduação em empreendedorismo e negócios sociais do Sul do Brasil. A terceira frente é o Fortalecimento de Rede, que promove e apoia ações sobre Empreendedorismo, Inovação, Negócios Sociais e Investimento de Impacto com a intenção de tornar Curitiba pólo de discussões de relevância nacional e internacional.

Leia +