24/01/2017

Municípios paranaenses com pior IDH são prioridade de programa de aceleração do terceiro setor

O Instituto Legado está em busca de organizações sociais dispostas a mudar a realidade de 25 municípios da Região Metropolitana de Curitiba e proximidades que ocupam as piores posições no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do IBGE. Em sua quinta edição, o Projeto Legado oferece programa de capacitações estratégicas gratuito para instituições do terceiro setor e negócios sociais e, desta vez, tem como objetivo principal atingir essas localidades estatisticamente carentes. “Nossa meta é democratizar o conhecimento que ofertamos e sabemos que investir nessas regiões que são geograficamente próximas de nossa atuação, mas socialmente distantes é a melhor estratégia para quem pensa em impacto social”, explica Beatriz Groxco, gestora do Projeto Legado e idealizadora da força-tarefa em busca de iniciativas sociais das cidades com pior IDH do Paraná. Para estabelecer a lista de prioridades do Projeto Legado 2017, a equipe do Instituto Legado pesquisou os municípios localizados em um raio de distância de até 200 km de Curitiba, cidade-sede do Instituto Legado, e analisou o IDH de cada município, selecionando os piores. A partir desse diagnóstico, foram destacados aqueles com pior desempenho, segundo o IBGE, que leva em consideração itens como moradia, educação e saúde. Entre os municípios identificados, o caso mais crítico é Doutor Ullysses, com pior IDH do estado (0,54), localizado a 125km da capital do Paraná, cujo IDH é de 0,82 (a nota máxima é 1). O segundo pior IDH do estado é representado por Cerro Azul, com taxa de 0,57. Na lista das selecionadas, o município com melhor desempenho é Almirante Tamandaré, com 0,69. “O Instituto Legado acredita que o empreendedorismo social é uma ferramenta eficaz para resolver uma gama de problemas sociais que são demonstrados pelo IDH e apostamos que nossa atuação nestas regiões, fomentando o protagonismo das comunidades locais, pode ser um bom ponto de partida para o combate desses problemas”, comenta James Marins, presidente do Instituto Legado. Além desse ranking prioritário, integram a área de interesse do programa todos os 29 municípios da RMC. As incrições para o Projeto Legado 2017 estão abertas até 15 de março. Podem se inscrever associações, organizações não governamentais, fundações, institutos e negócios sociais de todo o Brasil que tenham no mínimo um ano de funcionamento. Os interessados devem preencher um questionário online no site do Instituto Legado (www.institutolegado.org/pl2017) e enviar um vídeo de 2 minutos. Não há cobrança de nenhuma taxa. O edital completo, com todos os pré-requisitos e exigências, pode ser acessado no site oficial. Em quatro anos de atuação, o programa de aceleração do terceiro setor já capacitou e apoiou gratuitamente 80 iniciativas com propósito social e/ou ambiental lideradas por organizações da sociedade civil, empresas com propósito social e empreendedores sociais, fortalecendo e inspirando o empreendedorismo no setor social. O curso gratuito com duração de um ano inclui capacitação nas diversas áreas que compreendem a administração de uma organização social, com conceitos de gestão, legislação, captação de recursos e comunicação. Além do conteúdo programático, o projeto pretende conectar pessoas com objetivos em comum em eventos de rede que reúnem todas as iniciativas já atendidas pelo instituto, além de outras iniciativas parceiras e referenciais. Os participantes tem ainda acesso a assessorias especializadas que prestam suporte para solução de determinadas demandas e são incentivados por meio de desafios temáticos, que os estimula a praticar o conteúdo aprendido. O Projeto Legado 2017 tem abertura oficial dia 28 de março e encerramento no fim de novembro. Projeto Legado dobra número de vagas e amplia atividades Desde 2013, o Projeto Legado seleciona, capacita e investe em 20 organizações por ano, especialmente de Curitiba e Região Metropolitana. Na última edição, o programa expandiu e abriu o edital para todo o país, recebendo inscrições de todas as regiões. Para 2017 o passo deve ser ainda mais largo: o edital prevê a seleção inicial de 40 nomes, proporcionando que mais iniciativas sejam beneficiadas. Durante a primeira fase do programa, as participantes receberão cerca de 60h em treinamentos e serão reavaliadas para encaminhamento para a segunda fase. Na etapa seguinte, as selecionadas serão divididas em dois grupos, de acordo com a realidade e a fase de desenvolvimento. Aquelas julgadas mais aptas, serão preparadas ao longo do segundo semestre para a expansão de impacto e a possibilidade de conquistar um prêmio financeiro no valor de R$ 10 mil que irá auxiliar na execução das soluções para as causas sociais em que atuam. A segunda metade da turma será encaminhada para a fase de fortalecimento organizacional, com conteúdos próprios para consolidação de suas organizações. Essa fase não existia nas edições anteriores do Legado e está sendo implantada com o objetivo de dar ainda mais subsídio para que as beneficiadas cresçam e ampliem sua atuação. “O nosso objetivo é proporcionar meios eficazes para ampliar significativamente o impacto de iniciativas sociais, com capacitações estratégicas, rede de mentores e padrinhos, desafios práticos e possibilidade de investimento financeiro ao final do processo de aprendizagem”, ressalta Beatriz Groxco. Verifique a lista de cidades mapeadas pelo Projeto Legado: 1-    Doutor Ulysses 2-    Cerro Azul 3-    Guaraqueçaba 4-    Inácio Martins 5-    Tunas do Paraná 6-    São João Triunfo 7-    Tijucas do Sul 8-    Itaperuçu 9-    Bocaiúva do Sul 10- Fernandes Pinheiro 11- Ipiranga 12- Mandirituba 13- Antonio Olinto 14- Agudos do Sul 15- Imbituba 16- Sengés 17- Tibagi 18- Adrianópolis 19- Teixeira Soares 20- Rebouças 21- Rio Branco do Sul 22- Quitandinha 23- Contenda 24- Morretes 25- Almirante Tamandaré Saiba mais em www.institutolegado.org

Leia +
12/01/2017

Instituto Legado duplica vagas para 2017 e oferece programa de capacitação gratuito para instituições do terceiro setor e negócios sociais

Inscrições para Projeto Legado 2017 estão abertas até 15 de março de 2017: saiba como participar O Instituto Legado de Empreendedorismo Social lança a quinta edição do Projeto Legado e amplia as possibilidades de participação das organizações sociais de todo país. Em quatro anos de atuação, o programa de aceleração do terceiro setor já capacitou e apoiou gratuitamente 80 iniciativas com propósito social e/ou ambiental lideradas por organizações da sociedade civil, empresas com propósito social e empreendedores sociais, fortalecendo e inspirando o empreendedorismo no setor social. As inscrições para o Projeto Legado 2017 estão abertas de 23 de dezembro de 2016 a 15 de março de 2017. Podem se inscrever associações, organizações não governamentais, fundações, institutos, negócios sociais com no mínimo um ano de funcionamento. Os interessados devem preencher um questionário online no site do Instituto Legado (www.institutolegado.org/pl2017) e enviar um vídeo de 2 minutos. Não há cobrança de nenhuma taxa. O edital completo, com todos os pré-requisitos e exigências, pode ser acessado no site oficial. O curso com duração de um ano compreende encontros presenciais e à distância, por meio de plataforma online, e inclui capacitação nas diversas áreas que compreendem a administração de uma organização social, com conceitos de gestão, legislação, captação de recursos e comunicação. Além do conteúdo programático, o projeto pretende conectar pessoas com objetivos em comum em eventos de rede que reúnem todas as iniciativas já atendidas pelo instituto, além de outras iniciativas parceiras e referenciais. Os participantes tem ainda acesso a assessorias especializadas que prestam suporte para solução de determinadas demandas e são incentivados por meio de desafios temáticos, que os estimula a praticar o conteúdo aprendido. O Projeto Legado 2017 tem abertura oficial dia 28 de março e encerramento no fim de novembro. A História do Projeto Legado e as novidades para 2017 Desde 2013, o Projeto Legado seleciona, capacita e investe em 20 organizações por ano, especialmente de Curitiba e Região Metropolitana. Na última edição, o programa expandiu e abriu o edital para todo o país, recebendo inscrições de todas as regiões. Para 2017 o passo deve ser ainda mais largo: o edital prevê a seleção inicial de 40 nomes, proporcionando que mais iniciativas sejam beneficiadas. Durante a primeira fase do programa, as participantes receberão 60h em treinamentos e serão reavaliadas para encaminhamento para a segunda fase. Na etapa seguinte, as selecionadas serão divididas em dois grupos, de acordo com a realidade e a fase de desenvolvimento. Aquelas julgadas mais aptas, serão preparadas ao longo do segundo semestre para a expansão de impacto e a disputa por um prêmio financeiro no valor de R$ 10 mil que irá auxiliar na execução das soluções para as causas sociais em que atuam. A segunda metade da turma será encaminhada para a fase de fortalecimento organizacional, com conteúdos próprios para consolidação de suas organizações. Essa fase não existia nas edições anteriores do Legado e está sendo implantada com o objetivo de dar ainda mais subsídio para que as beneficiadas cresçam e ampliem sua atuação. Saiba mais em www.institutolegado.org

Leia +
09/12/2016

Advogado paranaense ministra palestra sobre Direito Tributário para procuradores em Brasília

O advogado James Marins será destaque no último dia do Congresso de Contencioso Tributário, organizado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). O paranaense, sócio fundador do escritório Marins Bertoldi Advogados Associados e atual presidente do Instituto Brasileiro de Procedimento e Processo Tributário, vai debater o método no Direito Tributário brasileiro em mesa composta também pelo presidente do Instituto de Estudos Fiscais, Marciano Seabra de Godoi e pela coordenadora geral de assuntos tributários da Procuradoria Geral da Fazenda, Núbia Nette Alves Oliveira de Castilhos. Durante os três dias do evento – 12, 13 e 14 de dezembro -, ministros do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça, integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) e especialistas em Direito Tributário vão apresentar palestras que abordam desde a cobrança de impostos sobre royalties até as perspectivas para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS. No dia 12, os ministros do STF Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki e Luiz Fux serão palestrantes. Enquanto os ministros do STJ José Castro de Meira e João Octávio de Noronha estarão presentes no dia 14. Ao longo das mais de dez palestras, o programa prevê também a presença do presidente substituto do Carf Rodrigo da Costa Pôssas, do Procurador-Geral Fabrício Da Soller e do Procurador-Geral Adjunto de Consultoria e Contencioso Tributário Cláudio Seefelder. O encontro deve receber mais de 200 procuradores no Distrito Federal. Serviço Congresso do contencioso tributário da PGFN e o FGTS Data: 12 a 14 de dezembro Horário: 12/12 – 13h30 (credenciamento); 14h (abertura) 13/12 – 8h30-12h15 e 14h-18h30 14/12 – 8h30-12h15 e 14h-18h (encerramento) Local: auditório do Edifício CNC – Bloco D – Brasília, DF Mais informações e inscrições pelo email secretariacrj.df.pgfn@pgfn.gov.br

Leia +
07/12/2016

Empresários e especialistas discutem oportunidades de negócio para 2017

Mesmo em um 2016 instável, com economia em retração e incertezas na política, o mercado de fusões e aquisições foi um dos mais movimentados no Brasil. Entre janeiro e outubro deste ano foram 833 transações – um crescimento de 3% em relação ao mesmo período de 2015, segundo dados da plataforma Transactional Track Record (TTR). O evento “2017: Análise das Perspectivas e Oportunidades em Fusões e Aquisições”, organizado pelo Marins Bertoldi Advogados Associados em parceria com Axxon Group Private Equity e Banco BNP Paribas, propôs a discussão sobre como o setor deve se comportar no próximo ano. Embora cautelosos, os especialistas em gestão acreditam que 2017 pode ser o ano de retomar o crescimento depois de um período em que as empresas enxugaram gastos e concentraram suas atenções em questões internas. Durante toda a manhã, os especialistas abordaram aspectos econômicos, estratégicos e jurídicos das fusões e aquisições entre empresas. O advogado Marcelo Bertoldi ressaltou a importância das empresas se prepararem em 2017 para a possível retomada da economia em 2018: “Somente aproveitará a recuperação quem se preparar no ano que ainda deve ser difícil”, opina.

Leia +
06/12/2016

Instituto Legado reúne 80 instituições sociais e anuncia vencedoras do Prêmio Cereja do Bolo 2016

Para celebrar a conclusão da 4ª edição do Projeto Legado e anunciar as organizações sociais que conquistaram o investimento financeiro, o Instituto Legado reúne na próxima quarta-feira (07), a partir das 19h, todas as organizações que já passaram pelo programa de capacitação e integram a Rede Legado. São 80 iniciativas sociais que receberam um ano de profissionalização em empreendedorismo social e agora se reencontram para trocar experiências, fortalecer conexões e conhecer as vencedoras do Prêmio Cereja do Bolo 2016. “A entrega do prêmio financeiro é sempre um momento muito especial para o Instituto e também para as organizações que integram nossa rede, é o momento de coroação do trabalho que é feito durante o ano e a chance que temos de potencializar nosso impacto fortalecendo parcerias entre pessoas que tem propósito social”, afirma James Marins, presidente do Instituto Legado. O encontro também é uma oportunidade para que pessoas e empresas interessadas no empreendedorismo social conheçam o resultado das atividades desenvolvidas em 2016 e discutam propostas para o terceiro setor. Desde 2013, o Projeto Legado seleciona anualmente 20 instituições do setor e oferta um ano de atividades gratuitas, incluindo conhecimento sobre gestão, comunicação, finanças e assessoria jurídica. Um dos avanços de 2016 foi a abertura de edital para outras regiões do Brasil. Graças a essa ampliação, a ONG Pontes do Amor, de Uberlândia (MG), pôde aprimorar o trabalho que desempenha em prol da adoção legal e a convivência familiar. “O Legado foi um divisor de águas que nos levou a revisar nossa identidade organizacional e processos, e ainda nos trouxe ferramentas e metodologia para gestão de projetos; valeu a pena o investimento em viagens, pois a qualidade do treinamento foi classe A”, avalia Sara Vargas, coordenadora da instituição e finalista do Projeto Legado 2016. Ao fim do curso anual, os participantes produzem um projeto de expansão de impacto e disputam um prêmio financeiro com intuito de ampliar as atividades e soluções da causa social ou ambiental a que se dedicam. Oito ONGs estão na fase final e na expectativa de conquistar R$ 10 mil para aplicação em 2017. Por meio desse programa de aceleração, 11 iniciativas já foram prestigiadas com financiamento direto, além de outras 71 que receberam investimento por meio do conteúdo programático. O edital de inscrições para a próxima edição será divulgado em breve. Turma de primeira Além da celebração do Projeto Legado 2016, o evento também marca a formatura da primeira turma de Pós-Graduação em Empreendedorismo e Negócios Sociais, um curso inédito no Sul do País desenvolvido pelo Instituto Legado em parceria com a FAE Business School. O encontro ainda contará com a presença de Marcelo Estraviz, especialista em investimento de impacto social que ministrará, na próxima quarta-feira (08) um dia de oficina de captação de recursos no Legado SocialWorking. Interessados em participar da celebração e da oficina podem confirmar presença pelo site. Sobre o Instituto Legado O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para o desenvolvimento econômico e se propõe a ampliar o impacto de iniciativas sociais, causar transformações e deixar um legado. Atua em três frentes estratégicas: Capacitação, Educação Formal e Fortalecimento de Rede. A capacitação é executada por meio do Projeto Legado, um programa de aceleração que seleciona, capacita, conecta e investe em organizações sociais de alto potencial de impacto. Realizado desde 2011, o Projeto já apoiou 80 organizações. A segunda frente é a Educação Formal que, em parceria com a FAE Business School e o Amani Institute estruturou a primeira pós-graduação em empreendedorismo e negócios sociais do Sul do Brasil. A terceira frente é o Fortalecimento de Rede, que promove e apoia ações sobre Empreendedorismo, Inovação, Negócios Sociais e Investimento de Impacto com a intenção de tornar Curitiba pólo de discussões de relevância nacional e internacional e recentemente criou o SocialWorking, um coworking exclusivo para negócios sociais. Serviço:  07/12/2016, a partir das 19h
Local: Av. Visconde de Guarapuava, 3263, Auditório 2o andar. Instituto Legado Rua São Pedro, 696 – Cabral. (41) 3503-2812 http://institutolegado.org www.facebook.com/InstitutoLegado

Leia +
30/11/2016

Curso voltado para empresas familiares apresenta benefícios da Governança Corporativa em Joinville

Joinville recebeu, nos dias 29 e 30 de novembro, o curso Governança Corporativa em Empresas Familiares, organizado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). O evento apresentou a administradores um panorama amplo dos desafios enfrentados por famílias empreendedoras para manter a saúde dos negócios com o passar das gerações e indicar práticas de governança que podem sanar ou evitar problemas administrativos. O processo de sucessão é um dos assuntos que mais gera dúvidas aos gestores de negócios familiares e está entre as principais causas de mortalidade dessas empresas. O advogado Fábio Tokars, sócio do Marins Bertoldi Advogados Associados, abordou a sucessão no segundo dia do evento. Tokars acumulou grande experiência na estruturação de empresas e em projetos de preparação para sucessão ou transferência de controle. A palestra do advogado também tratou de dúvidas sobre Acordo de Acionistas, Conselho de Família e Family Office.

Leia +
29/11/2016

Instituto Legado traz a Curitiba especialista em Captação de Recursos e realiza dia de treinamento sobre tema

O Instituto Legado realiza no dia 8 de dezembro um dia todo de programação voltado à profissionalização de captadores de recursos para o Terceiro Setor. O condutor da programação é Marcelo Estraviz, um dos maiores especialistas do tema no Brasil e que está atualmente em um período sabático na Europa, onde explora as principais inovações na área. O dia de imersão intitulado “Captação de Recursos: da teoria à prática”, é realizado das 9h às 18h, com intervalo de almoço das 12h às 13h, no Legado SocialWorking. As vagas são limitadas a 40 lugares e as inscrições devem ser feitas pela plataforma online disponível no site do instituto. A programação é destinada a gestores de organizações sociais, empreendedores sociais e captadores de recursos além de advogados, contadores, administradores e estudantes dessas áreas. A profissionalização em captação e o gerenciamento de atividades de mobilização de recursos é um dos desafios atuais mais relevantes para o empreendedorismo social brasileiro. Por meio de trabalhos em grupo, casos práticos e exposição de teorias, o treinamento apresenta ferramentas para a criação ou aperfeiçoamento de um departamento de captação de recursos nas organizações sem fins lucrativos. Também serão apresentadas as principais atividades e técnicas para que uma organização inicie um planejamento estruturado em mobilização de recursos, com a colaboração de aliados e futuros parceiros. “Nossa experiência com as organizações sociais de Curitiba tem mostrado o quanto a dificuldade de captação de recursos pode limitar o impacto social dessas iniciativas transformadoras; por isso, o Instituto Legado tem investido na criação de ambientes e condições para que os empreendedores sociais superem essa dificuldade”, comenta James Marins, presidente do Instituto Legado. Sobre Marcelo Estraviz Presidente do Instituto Doar, empreendedor social, palestrante e escritor, é fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) e conselheiro do Greenpeace, da Cidade Democrática e do Instituto Filantropia. Coautor do livro “Captação de diferentes recursos para organizações da sociedade civil”, autor de “Um dia de captador” e “Pause”. Criador do #diadedoar e da iniciativa certificadora de ONGs, já capacitou em mobilização e captação de recursos mais de 20 mil pessoas em 18 estados brasileiros e em três países da América Latina. Sobre o Instituto Legado O Instituto Legado acredita que o Empreendedorismo Social é uma ferramenta eficaz para o desenvolvimento econômico e se propõe a ampliar o impacto de iniciativas sociais, causar transformações e deixar um legado. Atua em três frentes estratégicas: Capacitação, Educação Formal e Fortalecimento de Rede. A capacitação é executada por meio do Projeto Legado, um programa de aceleração que seleciona, capacita, conecta e investe em organizações sociais de alto potencial de impacto. Realizado desde 2011, o Projeto já apoiou 80 organizações. A segunda frente é a Educação Formal que, em parceria com a FAE Business School e o Amani Institute estruturou a primeira pós-graduação em empreendedorismo e negócios sociais do Sul do Brasil. A terceira frente é o Fortalecimento de Rede, que promove e apoia ações sobre Empreendedorismo, Inovação, Negócios Sociais e Investimento de Impacto com a intenção de tornar Curitiba pólo de discussões de relevância nacional e internacional e recentemente criou o SocialWorking, um coworking exclusivo para negócios sociais. Palestra sobre Captação de Recursos com Marcelo Estraviz Inscrições:  http://institutolegado.org/cursos   Valores R$ 200,00 (para integrantes da Rede Legado); Primeiro lote a R$ 300,00 (para público em geral); Segundo lote a R$ 400,00 (para público em geral).   Legado SocialWorking   Rua São Pedro, 696 – Cabral. (41) 3503-2812 http://institutolegado.org www.facebook.com/InstitutoLegado   Confira o conteúdo do seminário: 1. Especificidades da mobilização de recursos nas organizações e projetos sociais
– A importância da mobilização de recursos dentro da organização
– Requisitos mínimos antes de começar a captar 2. Características dos diversos tipos de doadores e investidores: empresas, governos, fundações e indivíduos 3. Gerenciamento do “mix” de financiadores
– Quais as principais fontes de recursos
– Como conseguir melhor desempenho com cada um deles 4. Planejamento de estratégias e campanhas de captação
– Definição de estratégias e metas
– Mensuração das necessidades de arrecadação 5. Metodologias e técnicas de formação, contratação e treinamento de equipes e de captadores de recursos: como contratá-lo(s), como remunerá-lo(s), como manter a motivação e qual o melhor perfil 6. Novas tendências e ferramentas de captação de recursos
– Crowdfunding
– Mídias sociais
– Face-to-face 7. Técnicas de negociação e de apresentação de projetos e organizações com foco social
– Alta performance em negociações com empresas
– Como fazer e conduzir uma reunião
– O que dizer, o que não dizer e como dizer
– Técnicas de vendas adaptadas ao Terceiro Setor 8. A nova captação
– O que é a velha (e boa) captação
– Os 3 eixos: Pessoas, tecnologia e processos
– O objetivo se expandiu: dinheiro e aliados

Leia +
23/11/2016

Marins Bertoldi Advogados Associados é um dos escritórios mais admirados do Brasil pela décima vez consecutiva

  O escritório paranaense Marins Bertoldi Advogados Associados é um dos mais admirados do Brasil de acordo com o ranking Advocacia 500 da Análise Editorial, que é considerado o principal guia do setor no País. O escritório integra a lista desde 2007, somando dez indicações consecutivas. Os advogados e sócios do escritório Fábio Tokars, da área de direito empresarial, e Sérgio Rocha Pombo, da área de direito do trabalho, também aparecem na lista dos 500 advogados mais admirados do país. O escritório foi fundado em 1995 pelos advogados James Marins e Marcelo Bertoldi. Hoje, conta com uma equipe multidisciplinar atuando com foco em três grande áreas: Direito Tributário, do Trabalho e Civil. O trabalho dos advogados se consolida com atendimento e consultoria a clientes e realização de palestras, cursos e workshops por todo o país.  

Leia +
21/11/2016

Sérgio Rocha Pombo toma posse como Presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-PR

O advogado Sérgio Rocha Pombo tomou posse na última quinta-feira (17) como Presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-Paraná. Rocha Pombo é professor de Direito do Trabalho, mestre pela Universidade Federal de Santa Catarina e sócio do Marins Bertoldi Advogados Associados. A comissão foi empossada pelo presidente da OAB Paraná José Augusto Araújo de Noronha, e reúne representantes de diversos segmentos do Direito do Trabalho – advocacia patronal, advocacia de trabalhadores, advocacia sindical e advocacia pública. Com essa diversidade, a nova gestão pretende focar sua atuação na valorização da advocacia trabalhista por meio do diálogo aberto, eventos e ações em prol da classe. “Vamos abrir um canal de comunicação com as comissões de Direitos da Pessoa com Deficiência, Direito Previdenciário, da Mulher Advogada, Direito Sindical e outras comissões correlatas ao Direito do Trabalho”, afirma Rocha Pombo. O advogado Bruno Capetti, também do Marins Bertoldi Advogados Associados, também faz parte da comissão. Outra pauta de destaque nos planos da nova comissão é a melhoria do Processo Judicial Eletrônico, onde interessados podem acompanhar processos em consultas públicas pela internet.

Leia +
14/11/2016

Sistemas de inteligência artificial: coisa do futuro ou realidade imediata?

A notícia que um escritório de advocacia dos Estados Unidos já adotou um “robô-advogado”, despertou um desconforto no mundo jurídico e fora dele. ROSS, como foi batizado, não fará sustentação oral nos tribunais, como talvez o leitor o tenha inicialmente imaginado.  No escritório de advocacia, ROSS estará à disposição dos advogados respondendo perguntas. Com grande capacidade de processamento, ele é, na verdade, um banco de dados que contém enorme quantidade de informações jurídicas. Tendo um “colega” assim tão douto, é possível economizar tempo com pesquisas na extensa literatura jurídica, necessárias para preparar uma defesa. A novidade fez com que as pessoas passassem a questionar mais fortemente que profissões sofrerão menor impacto e quais serão extintas quando essa realidade estiver ao nosso alcance, ou seja, quando for economicamente viável implantá-la por aqui, não somente na esfera jurídica, mas em diversas outras. Kris Hammond, da Universidade americana de Northwestern, especialista em interação homem-máquina, afirma que a crença de que computadores são incapazes de avaliar o que está acontecendo e tomar decisões já pode ser encarada como incorreta. Acredita-se que as pessoas são mais eficazes para essa função, mas, na verdade, elas seriam mais propensas a errar por causa, vejam só, de seus preconceitos – novamente eles cerceando o desenvolvimento humano – que influenciam suas escolhas. Crenças, pressupostos, preconceitos, experiências, percepções e valores têm papel determinante na tomada de decisão individual. Uma série de teorias procuram explicar as ocorrências sistemáticas de erros e vieses que atrapalham os julgamentos humanos. Os interessados em se aprofundar nesta questão podem procurar: viés do excesso de confiança, viés da ancoragem, viés de confirmação, viés da disponibilidade, viés da compreensão tardia. E as decisões tomadas em grupo, em que se afirma que “duas cabeças ou mais pensam melhor que uma”? Nem assim venceríamos o robô! É claro que no grupo somam-se informações e experiências que geram reflexões mais ricas e profundas sobre problemas complexos ao analisar maior gama de variáveis, gerando por sua vez, mais ideias para o processo de tomada de decisão. Mas ainda nesta situação podem ocorrem fenômenos que prejudicam o julgamento como o pensamento grupal, que ocorre quando os membros do grupo estão obcecados por uma dada alternativa e passam a buscar a unanimidade, “atropelando” a avaliação das demais e a expressão de pontos de vista divergentes e pressionando membros que colocam em dúvida a alternativa preferida da maioria. Assim, aquele que tem dúvida desiste de expor sua apreensão ou até passa a minimizar para si mesmo a importância dela e se mantém em silêncio, o qual será interpretado como concordância e aprovação. O resultado é que pode haver uma avaliação incorreta do problema ocasionada pela busca ineficiente de informações, a ocorrência de vieses seletivos no processamento delas, a geração limitada de alternativas, a avaliação precipitada e incompleta destas, o exame superficial dos riscos, entre outros aspectos que levam a decisões incorretas que, após terem sido tomadas, tem-se a impressão que poderiam ser evitadas e muitas delas, de fato poderiam. Por tudo isso, é possível concluir que os sistemas de inteligência artificial nos serão muito úteis e terão maior impacto em áreas que requerem a análise de grande quantidade de dados como advocacia, e seu uso será intensificado na medida em que haja recursos. Que o desconforto sirva para nos impulsionar em direção à adaptação a este mundo volátil que vivemos. É um caminho sem volta! Texto produzido por Laísa Weber Prust, especialista em Recursos Humanos do Marins Bertoldi Advogados Associados, e publicado em seu blog.

Leia +
14/11/2016

Simpósio de Direito debate tributação, economia e política em Porto Alegre

Evento é realizado nos dias 24 e 25 de novembro e terá presença de Ministro do STJ Durante dois dias, aspectos do Direito Tributário estarão em pauta no XX Simpósio de Direito Tributário do Instituto de Estudos Tributários. Em sua vigésima edição, o simpósio deve levar a discussão para além dos aspectos legais. O painel “Tributação, Política e Economia”, com a presença de empresários, economistas e jornalistas, acontecerá no segundo dia do evento. Entre os advogados tributaristas presentes no painel está o professor e sócio fundador do escritório Marins Bertoldi Advogados Associados, James Marins. Por duas horas, os profissionais vão discutir as distorções do sistema tributário, a competitividade e segurança empresarial e as possíveis reformas tributárias. A conferência de encerramento será realizada pelo Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Joel Ilan Paciornik. O evento é realizado pelo Instituto de Estudos Tributários e pela Faculdade de Direito da PUC-RS. As inscrições estão abertas para o público no site do IET (http://www.iet.org.br/web/inscricao.php?id=23).   Serviço XX Simpósio de Direito Tributário do IET Data: 24 e 25 de novembro Local: Auditório da Faculdade de Direito da PUC-RS (Av. Ipiranga, 6681 – prédio 11) Inscrição e informações: http://www.iet.org.br/web/inscricao.php?id=23  

Leia +